The IronMan project – Versão 2

Como parte do meu projeto mensal, quis criar um verdadeiro IronMan. OK, ele não vai sair por aí salvando famílias nos confins do mundo contra terroristas nem salvando o planeta por portais interdimensionais (ou será que sim?), mas poderá se movimentar utilizando da biomimética humana.

Calma aí, biomimética humana? Me explica isso aí Gui porque não entendi nada. Simples, estou criando um robô humanoide que imita os movimentos de alguém que está na frente dele. Agora ficou fácil né?

Com o advento da tecnologia e automação os androides, vai ficar cada vez mais comum encontrar nas indústrias e grande empresas alguns humanoides que estarão nos ajudando a executar tarefas de grande risco de vida, trabalhos manuais de peso, salvamento de pessoas em desabamentos e áreas perigosas, e quem sabe ainda, serão policiais e protetores do bem e da verdade (vide o filme Chapman, I Robot, AI entre tantos outros).

Baseado então no personagem dos quadrinhos, mas não somente nisso, fiz o primeiro protótipo indicado abaixo que tem apenas uma estrutura que se pareça com o personagem original.

A estrutura corporal lembra bastante o busto original e isso acabou servindo de ideia para saber se todos os motores e blocos caberiam dentro dele. Infelizmente o tamanho ainda era pequeno para suportar todos os sensores e motores para se alcançar toda a complexidade que gosto de adicionar. Por isso a versão 2 (logo abaixo) foi criada.

Nessa versão, temos 4 motores funcionais desempenhando o papel de movimento dos braços, sei que ainda está simples e sofrerá alterações, mas de qualquer forma, já funciona bem imitando os movimentos de seu operador. Uma cabeça enorme foi adicionada e poderá sofrer alterações, mas pelo que parece, vai ficar essa mesmo!

Quanto à programação, não vou dizer que seja a mais simples que já desenvolvi e de longe não é a mais complicada, mas é bem interessante e funcional, em breve adicionarei alguns vídeos pra ilustrar os movimentos e maiores detalhes sobre a biomimética utilizada. O que acham?

Espero que gostem, aguardo comentários!
Enjoy!

Finalmente chegou, FLL a competição!

Fico muito feliz por ter sido iniciado nesse maravilhoso mundo da robótica competitiva no final de 2013 e ainda mais por em pouco mais de três anos ter aprendido tanto e trocado tantas experiências nessas competições. Primeiramente preciso dizer que se você nunca foi, não vai entender a satisfação plena do que realmente é estar lá. Se você não acredita que é possível mudar o mundo pela educação, talvez também não. Mas se você está aberto para conhecer um pouco do que esse mundo pode proporcionar e mudar, você está pronto pra essa experiência.

É muito comum ouvir dos pais que eles estavam se sentindo isolados em um mundo tão corrompido pela lei do mais esperto (em como enganar outras pessoas e ganhar mais em cima disso) e de como criar uma família baseada nos valores da paz, união, respeito e determinação pelo que é melhor para todos. O mais incrível ouvir ao final da competição é um simples “Obrigado“. Um obrigado que significa tanto, que simplesmente apresenta que essa família não está sozinha nessa batalha e que nesse ambiente é possível ver que existem vários outros alunos de diversas regiões do Brasil lutando para conquistar o mesmo.

Esse sentimento é até complicado de se explicar pois ele nos envolve tanto que fica difícil colocar em palavras. Tive tantas experiências alegres como dançar a dança da Galinha milhões de vezes como também aprender com equipes que surgiram de ambientes tão pesados com casos de violência, abusos, pobreza e complicações mas que tiveram resultados como os que vejo semestralmente pelo Facebook que não parecem ser provindas das mesmas histórias. Alunos que conseguiram transpor as dificuldades da vida para passar em primeiros lugares em física, mecatrônica, matemática, história e geografia. Esses mesmos meninos e meninas que serão futuros cientistas, pesquisadores, engenheiros e construtores mas que acima de tudo, serão pessoas de bem.

Depois de tanto pensar sobre assunto me veio a minha pergunta, e EU, “o que eu deixo para o mundo?” (Nessa parte tive que parar e pensar uns 5 minutos para continuar, mas enfim).  Deixo a minha parte da emoção em poder transformar o que estudei em poucas palavras e imagens em um projeto compartilhado, contatos e conversas para conseguir ajudar o máximo de alunos possíveis, apontar um rumo para técnicos e mentores de como poderem orientar o máximo o conhecimento de seus alunos para que eles possam achar a solução para os problemas oferecidos. Ensinar como pescar e não dar-lhes o peixe simplesmente. Fomentar as mentes curiosas para um futuro brilhante.

Amanhã, será mais um dia de FLL, de competição, diversão e aprendizado. Espero muito poder encontrá-los não somente na competição em si mas pelo mundo e por favor, se me vir por aí manda um OI!

AMO VOCÊS e o meu mais singelo OBRIGADO.

“O essencial é invisível ao olhos” (O pequeno príncipe, Antoine de Saint-Exupéry – 1943).

Projetos e construções para 2017

Olá Pessoal!
Prontos para mais um ano de construções? Eu estou muito empolgado e por isso estou propondo construir pelo menos um MOC original por mês. Isso mesmo, pelo menos uma construção muito louca usando power functions ou mindstorms para me manter ativo na comunidade.

E vocês, o que estão inventando por aí?

O melhor de tudo é que já tenho alguns projetos desenhados e esquematizados para serem executados, e por isso mesmo gostaria de indicar alguns que serão feitos esse mês, assim como um à cada mês. Isso mesmo, vocês poderão acompanhar o processo de ideiação (sim essa palavra existe mesmo), prototipação, construção, execução, melhoria e entrega!

Vamos conhecer os projetos desse mês?

1- The Brushing Teeth Machine


Baseado em uma idéia da Queen of the shitty robots, uma máquina capaz de escovar os dentes do seu utilizador automaticamente. Esse projeto está atrasado desde o ano passado e por isso fará parte do desafio de janeiro.

Update: Concluído, dá uma conferida aqui!

2- The IRONMAN Project


Ainda não decidi se vou chegar a usar um EV3 ou os power functions para fazer esse busto, mas teremos sim um Ironman criado e funcionando algumas ações de movimentação. Quem sabe, incluir os dois em um projeto? O que acham? Algumas funções que já estão previstas são o movimento do pescoço, armas nos ombros e brilho dos olhos e do Ark Reactor.

Espero que gostem! Aguardo suas ideias!

Monst3r Fabrik – Parte 1

Aprender a trabalhar em conjunto para conquistar algo grandioso para todos é algo que sempre procuro nas minhas atividades. Por isso mesmo, propus ao time de construtores Mindstorms/Technic da LUG Brasil  que pudéssemos apresentar ao público algo novo e nunca exposto até então nas terras tupiniquins. Sempre tive a vontade de representar alguns dos momentos que tive nas indústrias que trabalhei e por isso mesmo propus que apresentássemos ao público uma fábrica que movesse alguns blocos utilizando braços mecânicos, esteiras e outras traquitanas em um loop.

A ideia foi bem aceita e desde então estamos conversando frequentemente para poder apresentar a todos uma mini-fábrica com braços mecânicos com conceitos ainda não apresentados nas exposições no Brasil. O maior desafio com certeza será apresentar conceitos industriais utilizando peças de LEGO em sua construção. Fazer a imaginação fluir e apresentar o melhor possível do que existe nas fábricas do mundo todo.

Hoje o desafio de construir a fábrica está divida entre alguns dos melhores construtores Mindstorms/Technic do nosso grupo, esses são: Adriano Machado, Clayton Júnior, Daniel (Kiko), Guilherme Constantino, Ildefonso (Dudu) Zanette, Intentor, Wagner Cavalli e Gui Lima (eu).

Plano Monst3r Fabrik vs1

Como ideia base, apresentei o desenho acima onde é possível ver que existem dois braços mecânicos 1 e 2, algumas esteiras para movimentar os blocos e na posição três um braço Delta para organizar os blocos nas esteiras seguintes. Além de um loop onde todos os blocos seriam retro-alimentados para os braços 1 e 2 novamente.

O projeto cresceu e um novo desenho foi apresentado para o grupo, uma evolução do que pretendíamos executar. Muitos conceitos de movimentações foram discutidos até chegarmos na solução abaixo.

Plano Monst3r Fabrik vs2

Com o novo projeto, teríamos toda a transferência de blocos para retro-alimentação do projeto utilizando um trem de carga. O projeto ficaria amplamente técnico e com variações de movimentos. Além disso, um tipo de funil seria utilizado para separar os blocos por cor para que fossem movimentados por dois braços diferentes. O único problema desse novo projeto era a complexidade que estávamos encontrando para as soluções. Vários protótipos foram compartilhados entre a equipe porém precisávamos trabalhar com algo mais “pé no chão”.

Plano Monst3r Fabrik vs3

Com as novas atribuições de simplificar algumas tarefas, as funções foram realinhadas e o nome do projeto foi finalmente apresentado. Por mim, não poderia ser mais bacana do que Monst3r Fabrik. 🙂 A complexidade do projeto foi diminuída e o foco nas soluções foi alterado para que todos pudessem aplicar seu conhecimento/tempo/disponibilidade de solução e para garantir que todos os módulos fossem realizados com êxito.

Até o momento temos as seguintes responsabilidades definidas:

Braço 1 – 3 Axis Arm – Gui Lima
Braço 2 – 6 Axis Arm – Dudu
Braço 3 – Delta – Gui Lima
Esteira Saída do Delta – Gui Lima
Carrossel – ?
Trem de transporte – Clayton
Sistema de carregamento/descarregamento de blocos – Clayton

Mais novidades serão postadas em breve bem aqui, não perca!

D3lta Arm – Parte 1

Como sabem, gosto muito de representar objetos industriais que na minha opinião são o ápice da robótica que conheço. Sei que todos os outros tipos são interessantes também, mas no momento estamos (equipe Mindstorms LUGBrasil) trabalhando pra construir uma fábrica de verdade toda baseada em LEGO. Por esse mesmo motivo estou há meses trabalhando em projetos e melhorando-os à cada exposição para que no final do ano possamos apresentar o produto final. Ficou interessado? Quer conhecer mais? Vem comigo!

A explicação sobre a fábrica será feita em um outro post, enquanto isso, vamos aprender um pouco sobre o que é um Delta Arm ou Flex Picker e como ele funciona. Bem, esse tipo de braço é usado largamente nas indústrias que precisam controlar e organizar objetos de forma rápida e ordenada. Alguns exemplos são:

 

E esse é só o primeiro vídeo, se vocês procurarem por aí tem vários e vários tipos de aplicações desse mesmo tipo de tecnologia nos mais variados tipos de produções como alimentícias, bens de consumo e automobilística por exemplo. O que mais tenho visto no momento são as impressoras 3D que são uma nova fase da construção de objetos pessoais utilizando o mesmo princípio de movimento.

Delta arm em movimento

Como funciona? O conceito chave de um robô que utiliza a tecnologia Delta é o uso de braços que se movimentam simultaneamente e que devem ser utilizados para alcançar um certo ponto nos planos X, Y e Z. Com isso eles são capazes de pegar ou deixar objetos em qualquer local onde tenham alcance de forma simples e ordenada.

Como a estrutura que suporta toda a estrutura é bem rígida, os braços são muito simples e construídos de forma muito leve e rápida. Eles acabam sendo muito utilizados em atividades que demandam alta aceleração e movimentos precisos como os do vídeo abaixo.

Mas cadê o robô? E chega de enrolação né? Que tal conhecer a primeira versão do meu protótipo de Delta Arm? Logo abaixo você consegue ver o tamanho que a estrutura já está alcançando além de ter um dinossauro e um bonequinho para comparação. Nele que serão adicionados ainda os motores do braço e o controlador EV3 além dos controles de movimento.

Estrutura – v1

Abaixo está a primeira versão do Delta Arm que estou desenvolvendo que conta com três braços que se movimentarão simultaneamente para manipular objetos que passarão por baixo dele.

Delta Arm v1

E pela primeira vez estou me sentindo quase sem peças para um projeto tão grande. Sei que vou ter que desmontar outras coisas que já estão prontas há séculos mas mesmo assim ainda acho que vou precisar focar pra conseguir fazer o melhor possível com o mínimo de peças. Nada melhor que o limite pra mostrar as possibilidades de construção, não é mesmo?

Novidades aparecerão em breve, aguarde! 🙂

Braço Mecânico Industrial – Parte 2

Gui Lima e Lee Magpili

Após o evento do Campeonato FLL 2015/1016 – Regional Bahia, fomos convidados para participar do evento em Brasília representando o time AprendaRobótica. Ficamos super orgulhosos e ainda mais felizes quando soubemos que seríamos convidados especiais. Algumas das novidades é que teríamos uma área para divulgar dicas (construção, programação, core values e pesquisa), minicursos, palestras e exposição de robôs. Sim! uma mini-expo só pra gente!

Um dos momentos mais marcantes foi quando o Lee Magpili, um dos desenvolvedores do EV3 na LEGO foi nos visitar e conhecer as construções. Fiquei super feliz de poder mostrar pra ele a minha construção e tirar essa fotinho acima ai! Valeu LEE! *_*

Voltando agora a falar sobre a minha criação, ela estava até então  100% funcional e possuía uma base fixa, um motor para girar toda a estrutura em 360º, o braço em 180º, o antebraço em 180º e uma garra para manipular objetos.

Visão do robô

Um dos problemas dessa versão era o seu peso, apesar de possuir algumas partes bem trabalhadas, ao chegar em alguns ângulos o motor acabava forçando a construção, o braço ficava bambo e o esforço do motor passava a ser muito grande. A base também era muito alta e isso dificultava a manipulação de objetos próximos a ele. Beleza e estética nem sempre são favoráveis. :/

Depois de vários testes, consegui criar uma base que era mais leve, fina e robusta (lado esquerdo da foto abaixo) utilizando vários jogos de engrenagens para dar a força, velocidade e precisão que precisava para mover os objetos próximos ao robô. Único problema até então era que o motor que girava a base, e o que girava o braço eram grandes, as engrenagens estavam expostas ou entravam em contato com outras partes. Momento de frustração total. Nessas horas, me lembrei dos conceitos de design thinking e comecei a fazer dois protótipos separados (dividir os problemas) e comecei a tentar uni-los com mais calma.

Versão 5 e versão 4 respectivamente

No próximo post, apresentarei como consegui finalizar o meu robô e algumas fotos em detalhes de como ele funciona de verdade. Aguardem!

Barco voador inspirado nos desenhos de Ian Mcque

Olá pessoal tudo bom?
Resolvi participar de um desafio na LUGBrasil onde temos que criar barcos voadores no estilo dos desenhos de Ian Mcque um designer fantástico. Acho as obras dele tão interessantes que uso como wallpaper em meus computadores (trabalho e casa) há muito tempo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Essas criações são realmente fantásticas não é mesmo? Baseado em várias entradas e projetos dele e de outros designers famosos acabei me inspirando e criando o meu. Segue abaixo a história desse meu barco voador.

Essa fragata de transporte já possui mais de 30 anos de atividade. Seu dono, Sr Muriachi é um velho colono das cidades altas que infelizmente foi exilado de lá há mais tempo do que as lembranças podem se recordar. A estrutura da California Dreams já foi totalmente modificada devido tantos anos de suporte e intercâmbio de peças entre as mais diferentes embarcações já encontradas. Possui pedaços e partes de todos os tipos de geringonças voadoras que já foram produzidas pelas Empresas AirTech além de peças próprias produzidas pelos antigos mecânicos. Durante seu auge chegou inclusive a ser uma embarcação de suporte médico durante a Grande Guerra. Hoje conta com apenas três tripulantes, o pequeno John que foi encontrado no meio das cargas após uma saída de um dos portos dos mercados marinhos, Boe (imediato) que é o responsável pela manutenção e é o responsável pelo funcionamento e comunicação e o nosso discutível Sr Muriachi.

Se quiser conhecer mais fotos e detalhes sobre a nossa embarcação, dê uma olhada no Flickr. Tem tudo por lá! 😉

Reportagem Lego 80 anos

Olá Pessoal,
Estou super feliz pois a reportagem em que participei já está disponível na internet. A reportagem foi feita com a TV UFMG que é um canal disponível em Belo Horizonte e o assunto logicamente era sobre a LEGO. O vídeo a seguir conta um pouco da história dos 80 anos do brinquedo mais famoso do mundo tive o prazer de falar sobre essa minha paixão diária. Conheça um pouco mais sobre mim e sobre a LEGO no Brasil e em BH.

Obrigado à equipe de reportagem e a todos que contribuíram para esse meu crescimento pessoal. Em especial aos meus pais, irmãos, namorada e amigos do LUGBrasil.

– English version:

Hello folks,
I am very happy because the report/article that I was part of is available on internet. The report was done by the local TV channel called TVUFMG and the subject was about the LEGO. In this video you will learn about the 80 years of the most famous toy in the world and a little bit about my daily passion. Please, enjoy this video where you will know about myself and about LEGO in Brazil and in Belo Horizonte. This video is only available in portuguese, if needed, please tell me and I will provide the english subtitles.

I would like to send my thanks to the UFMG TV channel team and specially to my parents, siblings, my girlfriend and to my friends from LUGBrasil.