Finalmente chegou, FLL a competição!

Fico muito feliz por ter sido iniciado nesse maravilhoso mundo da robótica competitiva no final de 2013 e ainda mais por em pouco mais de três anos ter aprendido tanto e trocado tantas experiências nessas competições. Primeiramente preciso dizer que se você nunca foi, não vai entender a satisfação plena do que realmente é estar lá. Se você não acredita que é possível mudar o mundo pela educação, talvez também não. Mas se você está aberto para conhecer um pouco do que esse mundo pode proporcionar e mudar, você está pronto pra essa experiência.

É muito comum ouvir dos pais que eles estavam se sentindo isolados em um mundo tão corrompido pela lei do mais esperto (em como enganar outras pessoas e ganhar mais em cima disso) e de como criar uma família baseada nos valores da paz, união, respeito e determinação pelo que é melhor para todos. O mais incrível ouvir ao final da competição é um simples “Obrigado“. Um obrigado que significa tanto, que simplesmente apresenta que essa família não está sozinha nessa batalha e que nesse ambiente é possível ver que existem vários outros alunos de diversas regiões do Brasil lutando para conquistar o mesmo.

Esse sentimento é até complicado de se explicar pois ele nos envolve tanto que fica difícil colocar em palavras. Tive tantas experiências alegres como dançar a dança da Galinha milhões de vezes como também aprender com equipes que surgiram de ambientes tão pesados com casos de violência, abusos, pobreza e complicações mas que tiveram resultados como os que vejo semestralmente pelo Facebook que não parecem ser provindas das mesmas histórias. Alunos que conseguiram transpor as dificuldades da vida para passar em primeiros lugares em física, mecatrônica, matemática, história e geografia. Esses mesmos meninos e meninas que serão futuros cientistas, pesquisadores, engenheiros e construtores mas que acima de tudo, serão pessoas de bem.

Depois de tanto pensar sobre assunto me veio a minha pergunta, e EU, “o que eu deixo para o mundo?” (Nessa parte tive que parar e pensar uns 5 minutos para continuar, mas enfim).  Deixo a minha parte da emoção em poder transformar o que estudei em poucas palavras e imagens em um projeto compartilhado, contatos e conversas para conseguir ajudar o máximo de alunos possíveis, apontar um rumo para técnicos e mentores de como poderem orientar o máximo o conhecimento de seus alunos para que eles possam achar a solução para os problemas oferecidos. Ensinar como pescar e não dar-lhes o peixe simplesmente. Fomentar as mentes curiosas para um futuro brilhante.

Amanhã, será mais um dia de FLL, de competição, diversão e aprendizado. Espero muito poder encontrá-los não somente na competição em si mas pelo mundo e por favor, se me vir por aí manda um OI!

AMO VOCÊS e o meu mais singelo OBRIGADO.

“O essencial é invisível ao olhos” (O pequeno príncipe, Antoine de Saint-Exupéry – 1943).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *